Keblinger

Keblinger

As empresas e a nova classe emergente.

18 março 2011
O instituto Data Popular investigou as principais empresas que atuam diretamente com as classes emergentes no Brasil, mais conhecida como a nova classe média, é o segmento de consumidores com renda entre R$ 1750,00 a R$ 3500,00 mais ou menos.

A pesquisa procurou identificar as práticas, expectativas e dificuldades mais freqüentes das empresas no atendimento deste mercado.


Os resultados foram obtidos através da aplicação de 117 questionários com empresários e profissionais de 100 empresas nacionais e multinacionais que atuam com foco nesta classe emergente, sendo complementado com entrevistas em profundidade realizadas com líderes e executivos de empresas.

Foi analisado: a Importância atribuída ao mercado emergente, o Preparo para lidar com este público, a Comunicação, as Práticas diferenciadas e os Modelos de atuação das empresas.

Os principais resultados são: 

70% dos entrevistados percebem que existe algum preconceito por parte de suas empresas quando o assunto é atuar neste segmento. 

71% avaliam haver algum tipo de resistência interna em trabalhar com o público emergente.

Apenas 20,8% dos executivos se consideram muito preparados para lidar com este público. 

91% destes avaliam que seus colegas de empresa não estão bem preparados para lidar com o público emergente. 

Além de se considerarem pouco preparados, os profissionais e executivos acreditam que suas empresas estão despreparadas para ter sucesso com a classe C e também com a D e E.

Apenas 14% consideram suas empresas muito preparadas. 

A falta de conhecimento e a comunicação inadequada são as principais dificuldades apontadas para atingir o mercado mais popular.

Mais da metade dos profissionais entrevistados avalia que a empresa onde trabalham entende pouco ou nada sobre este tipo de consumidor.

Apenas 8% dos entrevistados consideram que suas agências de propaganda estão muito preparadas para lidar com as classes C.

A maioria dos profissionais, 76%, acredita que suas empresas deveriam adotar estratégias diferenciadas para atender os consumidores emergentes.

Apenas 5% rejeitam as estratégias específicas.

Entre 30% e 40% das empresas adotam claramente estratégias diferenciadas de vendas e comunicação para lidar com o segmento. 

Agora vejamos os resultados entre executivos de empresas que dialogam com as classes emergentes como parte de suas estratégias: 

Entre as empresas que adotam práticas diferenciadas de venda, 65% percebem que os clientes populares são fiéis à sua marca.

Entre as empresas que não adotam, esse número cai para 33%. 

Entre as empresas que adotam estratégias específicas de marketing, 80% percebem que os clientes populares são fiéis à sua marca.

Entre as empresas que não adotam uma comunicação específica, esse número cai para 41%.

As 3 empresas mais citadas como cases de sucesso no mercado emergente são: Casas Bahia ( 36,7% ) - Magazine Luiza ( 9,5% ) e Lojas Marisa ( 3,6% ). 

Concluindo:

> É preciso conhecer mais o mercado, para preparar profissionais capazes e estratégias de negócios para este público emergente.

> É importante reconhecer que este mercado veio para ficar e não atuar nele é miopia.

> Ninguém vai conseguir ser líder de mercado se não for líder na classe C. 

> O que ainda falta é humildade para se colocar no lugar do outro.

0 comentários:

 

RESISTÊNCIA A MUDANÇAS - O FOGO.

RESISTÊNCIA A MUDANÇAS - A RODA.

CONVERSAR ON-LINE

RESISTÊNCIA A MUDANÇAS - O 1º PASSO É SEU.

RECEBA BOX H NO SEU E-MAIL.

Copyright 2008-2012 © HOME I Homero Fischer All Rights Reserved • Design by Dzignine