Keblinger

Keblinger

Não basta ser, tem que parecer.

04 maio 2011

Fala-se muito em não medir uma pessoa pela aparência, mas é o que mais fazemos, é uma herança evolutiva da espécie humana, da qual não conseguimos nos desvencilhar mesmos nos dias atuais.

Quando se fala em competência a mesma coisa acontece, o profissional deve ser competente, ou seja, ter conhecimentos, habilidades e atitudes, mas também tem que demonstrar está competência.



Só aparentar competência sem a tê-la é um convite a o fracasso, mas possuir competência e não demonstrar-la também pode prejudicar a caminhada rumo ao sucesso.

Vou ilustrar o que estou apresentando com um caso real de um veterinário.

Numa manhã ensolarada a mulher levou seu pequeno cão ao veterinário para tomar as vacinas de rotina.

O veterinário ao pegar o cão notou que o bicho parecia meio desequilibrado, preocupado com isto começou a examiná-lo da ponta do rabo até a ponta das orelhas, e foi onde notou um pequeno caroço.

O veterinário desconfiou que talvez pudesse ser um tumor, quem sabe até maligno. Ele então explicou a dona sobre o possível tumor, depois anestesiou o cão e retirou o tumor pedindo que a senhora busca-se o cão no final da tarde, pois queria deixá-lo em observação.

Com certeza este veterinário era muito competente, fez mais do que foi necessário e talvez até tenha salvado a vida do pequeno cachorro.

Como era habito na clinica, foi pedido que dona do cão preenchesse um questionário sobre o atendimento realizado. Dentre as meia dúzias de questionamentos, havia um que perguntava:

 “Como você avalia a competência médica do veterinário que a atendeu?”

As opções variavam de 1 altamente incompetente até 10 altamente competente. Qualquer colega deste veterinário teria dado um 10, ele fez mais que o esperado e notou um possível tumor que poderia tornar-se um problema mais adiante.

Como a cliente avaliou o veterinário?

Com um 7, bom, mas não excelente muito menos ótimo. O que aconteceu?

Como um sujeito com está competência recebe um mero 7?

A resposta estava do jaleco. Ele não usava jaleco naquele dia, estava de calça jeans, camiseta e tênis.

Aprofundando um pouco mais este pequeno experimento, concluímos que os donos de animais valiam a competência dos veterinários, dando notas:

> Mais baixas para os que não usam jaleco.
> Um pouco melhores para os que usam jalecos azuis ou verdes.
> Melhores para os que usam jalecos brancos.
> E bem melhores para os que usam jaleco branco e estetoscópio no pescoço.

O que leva a conclusão que não basta ser competente tem que aparentar está competência também.

E você naquilo que faz aparenta a sua real competência? Se for um competente advogado, vendedor, comerciante, gerente, atendente ou qualquer outra profissão, aparenta está competência para seus clientes?

Lembre-se que, 1º você tem que ser competente, 2º deve aparentar está competência no seu visual pessoal, do local de trabalho, do ambiente, etc. 
A ordem é está e não pode ser invertida.


0 comentários:

 

RESISTÊNCIA A MUDANÇAS - O FOGO.

RESISTÊNCIA A MUDANÇAS - A RODA.

CONVERSAR ON-LINE

RESISTÊNCIA A MUDANÇAS - O 1º PASSO É SEU.

RECEBA BOX H NO SEU E-MAIL.

Copyright 2008-2012 © HOME I Homero Fischer All Rights Reserved • Design by Dzignine